Da Cozinheira Enamorada

Já ouvi dizer que botar sal demais na comida é sinal de cozinheira apaixonada. Discordo, pois acho que o enamoramento (seja ela por gente, bicho, coisa ou comida) é potencializador de sensibilidade, não combina com comida salgada demais. Há que diga que a paixão embota os sentidos, eu acredito que os aviva e revigora.

Um coração poeirento necessita de muito tempero para acordar, ao passo que um amor à flor da pele faz acender na língua o mais ínfimo grânulo da flor do sal.

João Gabriel de Lima, jornalista que escreveu lindamente o livro do Alex Atala, relatou uma preciosa dica do chef: usar sal grosso moído no lugar do sal fino. Ele segue explicando que o sal fino queima a boca, é agressivo ao paladar. Já o sal em cristais (o grosso, o moído, a flor) libera o sabor aos poucos, com sutileza e elegância.

Sou da mesmíssima opinião e tenho o costume de moer meu sal no pilãozinho. Mais recentemente, ao ser presenteada com esse imponente moedor de pimenta, resolvi dar a ele nova função: coloquei um punhado de sal grosso e ele funcionou lindamente.

O moedor de pimenta que virou de sal vai à mesa e lá se comporta muito bem. É excelente para trazer à tona o sabor delicado de uma salada fresca. E para não ferir a boca dos amantes!

Dadivosa Adverte!

Os cristais levam mais tempo para dissolver e a proporção não é exatamente igual à do sal fino. Portanto, vá com cautela e prove a comida após um minutinho. Para testar, experimente moer o sal diretamente sobre um suculento gomo de tomate italiano.

P.S.: O livro do Alex Atala, Por uma Gastronomia Brasileira, tem edição caprichada (dois volumes, capa dura, papel de alta gramatura, cuidado gráfico). Não está entre os meus favoritos, mas as fotos são muito bonitas e o texto é primoroso, superando as receitas do chef.



19 comentários em “Da Cozinheira Enamorada

  1. Eliana Scaramal

    Lindo o seu moedor! Dadivosa sabe que quando engravidei perdi essa tal sensibilidade só fazia comida salgada, eu não percebia o sal, pra mim estava ótimo pro marido um pesadelo e pra pressão também né?!?! 😉

    Responder
  2. Aninha

    Lindo, Lindo… Eu comprei um joguinho..vem o moedor de sal e o de pimenta, na maioria das vezes eu uso o sal moido, no lugar do outro. Agora só me falta experimentar a flor do sal, ainda não encontrei sem sabor de ervas e outras coisas…

    beijinhos

    Responder
  3. Silvia Arruda

    Dadi, nunca substituí o sal refinado pelo sal grosso. Aliás, usei o sal grosso, sem ser num churrasco, apenas uma vez para cozinhar. Foi quando fiz as batatas murro da chef Rita Lobo. Vou experimentar fazer isso. Ah!! E mais uma vez, um texto lindo e delicioso de se ler!
    Bjos

    Responder
  4. marta

    Dadi, em casa só uso sal grosso moido por sugestão do meu filho que se não é um Dirceu( é bagunceiro por demais!) é um otimo cozinheiro! no Santa Luzia existe uma variedade enorme de tipos de sal, inclusive aqueles franceses barbaros! Acho lindo o meu conjuntinho de moedores de pimenta e sal, fazendo o par basico para que minha dadivosa seja feliz!!! beijocas!!!

    Responder
  5. Faby

    Eu tb uso sal grosso faz tempo mas existe um moedor especial para ele, fantástico… a Clau tem um desses. Fica lindo quando vc bota raminhos de alecrim pra moer junto.

    Beijuca

    Responder
  6. Fer Guimaraes Rosa

    Fe, se essa historia for verdade, eu sou uma cozinheira in love, pois tenho uma maozona de chumbo pra sal… Fofesimo o saleiro/pimenteiro! Eu vi esses livros do tal Atala, mas nao comprei porque eram pesadissimos para levar na mala. Nao perdi muito? beijao! :-*

    Responder
  7. Verena

    Dadi (olha a intimidade!), seu blog é lindo, as fotos e textos uma delícia para os olhos e coração.
    Ainda não achei a Flor de Sal por aqui (moro no Rio), mas vou procurar mais, talvez em SP. Recebi uma dica outro dia: cozinhar o macarrão com sal grosso invés de sal fino, dica de italiano. Parece que por dissolver mais lentamente influi no cozimento da pasta… mas não tenho certeza se é isso.
    Um abraço!

    Responder
  8. Raul

    Ai meu Deus!! Acho que preciso cair dentro de uma bacia de sal grosso e esperar algum resultado nos temperos do meu coração!

    Dadi,
    muito obrigado pela alegria desejada e pode apostar que não há coisa – desculpa a redundância – mais alegre! Beijão e até a volta.

    Responder
  9. ANGELA

    Eu tbem uso o sal grosso moido, tenho um moedor de pimenta lindíssimo, na verdade ele é em formato dos antigos moedores de grãos de cafe, feito em madeira, um charme.
    quanto a flor de sal, morro de vontade de conhecer, não achei ainda no interior, e tbem não achei pra comprar via internet, acho que vou ter de ir a SP pra comprar….

    Responder
  10. Deise Lima

    Adorei a dica de moer sal grosso!
    Mas essa história de sal e paixão me lembrou o filme mexicano “Como água para chocolate”. A personagem principal prepara o banquete para o casamento de sua irmã com o homem que ama. Ela chora tanto ao preparar a comida, que forma-se um rio de lágrimas. O rio seca e gera sal para abastecer a cidade por muito tempo.
    Talvez excesso de sal seja sinal de cozinheira apaixonada mas não retribuída.
    🙂

    Responder
  11. Edianez da Costa Ribas

    Adorei este blog. E a dica do sal grosso foi sensasional.

    Vou moer no moedor de pimenta e colocar em minhas refeições.

    Bjos!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.




Arquivos

Post aleatório

Copa, Copacabana

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail