Bolo Rubi


Tomei conhecimento deste bolo de coloração ímpar num livreto editado pelo Senac com receitas saudáveis e muito baratas utilizando ingredientes de fácil obtenção para qualquer família brasileira.

O nome original não era assim tão pomposo e tive receio de que o título pudesse espantar aqueles leitores mais gastronomicamente ortodoxos, de forma que o batizei carinhosamente de Bolo Rubi, alcunha bastante mais meiga e aprazível.

Apesar de ter ido às compras exclusivamente para confeccioná-lo, olvidei-me de trazer laranjas, o que me obrigou a modificar um pouco a receita, como poderão ver nas observações. O resultado final não foi prejudicado, mas recomendo que você faça com a quantidade solicitada de suco (um copo) espremido na hora.

Sem mais delongas, deixo aqui minha própria versão da receita:

Ingredientes:

  • 1 copo (250ml) de suco de laranja [como só tinha uma laranja em casa, espremi a dita e arranjei-me completando o copo com água]
  • 4 xícaras de beterrabas picadas [orgânicas de preferência, bem lavadas, sem caules nem raízes, mas pode ser com um pouco da casca que faz bem]
  • 3 ovos [claras e gemas separadas]
  • 2 xícaras de açúcar  [achei muita coisa e cortei para uma]
  • ¾ xícara de óleo
  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento

[Opcional: calda de chocolate multiprática para cobertura ou açúcar de confeiteiro para polvilhar ou a cobertura que você preferir]

Como fazer:

  1. Ligue o forno na temperatura média para preaquecer.
  2. Unte a(s) forma(s) com margarina e polvilhe-a(s) com farinha de trigo.
  3. Coloque no copo do liquidificador o suco de laranja e as beterrabas. Bata bem até virar uma pasta. Na receita dizia que viraria um suco, mas acho improvável dada a quantidade da raiz tuberosa em comparação com o líquido. Reserve a papinha no copo do aparelho mesmo.
  4. Numa tigela grande, bata as gemas com o açúcar. A mistura formará uma espécie de gemada um pouco dura. Deite ali o óleo e bata com a colher de pau até ficar bem homogêneo, um pouco mais claro e fofo.
  5. A esse preparado amarelinho, vá deitando aos poucos a mistura de beterraba e misturando com a colher de pau. Pare um pouco e contemple: a cor não é espetacular? Não faça como eu! Mexa com cuidado e sem fazer muita balbúrdia para não respingar a massa rubra na roupa, no chão, nos olhos da cã companheira que assisita a tudo atentamente…
  6. Agora coloque a farinha aos poucos, sempre misturando com delicadeza até incorporar bem.
  7. Numa tigela menor, bata as claras em neve. Como na maioria das vezes sou uma jovem senhora à moda antiga, preferi fazer isso com um batedor de arame, ou fouet.
  8. Dotada de minúcia e paciência, coloque as claras na massa e vá mexendo de baixo para cima até misturar bem. Acrescente o fermento, misture e deite na(s) forma(s).
  9. Neste momento você notará que a quantidade de massa poderia bem servir para dois bolos de tamanho médio para grande. Aliás, da próxima vez devo fazer somente a metade da receita, pois a iguaria rendeu tanto que pude preencher seis forminhas de muffins mais uma forma de aro (daquelas com buraco no meio, de fazer pudim de leite).
  10. Leve ao forno, que já está preaquecido na temperatura média. Estarão prontos quando, ao enfiar um palito no meio, este saia limpo. Os muffins levaram exatos 40 minutos. O bolo grande levou uma hora.
  11. Espere esfriar um pouquinho, desenforme e aplique a cobertura que mais lhe aprouver. Pincelei uma finíssima camada de geléia de framboesas e polvilhei com açúcar de confeiteiro.

Estou aqui com a mente dadivosa a fervilhar com idéias de novas coberturas, mas vou deixar a estimada leitora decidir com o quê este bolinho sabe melhor 😉



30 comentários em “Bolo Rubi

  1. miki

    meniiiina, que quiiiilo esse teu bolinho! e que nome très sympathique!. fiquei interessada nesse livro, está à venda nas livrarias?
    beijos e adorei saber que vc aderiu à prática de reduzir os alimentos embalados excessivamente!
    bom final de semana!
    miki

    ah, em tempo: adoro como você escreve por aqui, uma leitura agradabilíssima! és jornalista? eu amo essa “última flor do lácio inculta e bela” como diria olavo bilac e me deleito com os seus mui queridos “olvidei”, “rubra”, “quedei”, “malogrou” entre outras delícias!

    Responder
  2. Patricia Scarpin

    Dadi, amei a receita!
    Além de lindo, saudável e nutritivo!

    Gosto de beterraba e sempre procuro comer, por causa do ferro (não como feijão nem amarrada).

    Lindo – tenho um fraco por geléias e framboesa é a preferida (divide o pódio com a de goiaba). ;D

    Responder
  3. Dadivosa

    Miki, obrigada pelas palavras doces. Vou procurar o nome exato do livreto e em seguida conto para vocês. Enquanto isso, encontrei esta outra cartilha que parece ser interessante.Carol, fiz até um coraçãozinho no meio, mas quando dei a dentada ele se desmingüelou.

    Eliana, obrigada pela lembraça. Eu usei uma medida de 250 ml e já corrigi a receita.

    Vou falar pra vocês que tasquei um desses na bolsa a título de merenda e foi divinal 😀

    Beijos

    Responder
  4. Fer Guimaraes Rosa

    Fer, acho que a minha mae tem/tinha esse livreto do Senac, que ensinava a usar tudo dos legumes, frutas, as folhas, cascas, etc. Eu acho muito legal isso, mas nunca consegui adotar essa pratica. Beterraba no bolo eh super interessante. Gostei! beijao,

    Responder
  5. Dadivosa

    Fer, esse eu peguei com a vogra. É interessante, mas tem umas coisas um pouco forçadas, no meu entendimento. Talvez porque as fotos não ajudem muito e porque os títulos tenham aquele jeitão de “guisado de sobras de cascas de muitas coisas”.
    Estou pensando em fazer uma versão salgada desse bolinho, de tanto que gostei.

    ;***

    Responder
  6. Daniela

    Dadi, é o seguinte você me mata de rir com seu passo-a-passo. Fico aqui imaginando a cena e me divirto demais.
    Adoro beterraba e então será um sucesso em casa.
    Dúvida: que calda deliciosa você fez?
    Beijão

    Responder
  7. Dadivosa

    Dani, eu não fiz calda não. Apenas pincelei uma camadinha de geléia de framboesa e depois polvilhei açúcar de confeiteiro. Mas a receita original dizia para fazer uma calda de chocolate.

    Elvira, tão irresistível que acabei mordendo antes de fazer a foto! hahaha

    ;***

    Responder
  8. Renata

    E hoje me falaram de uma panqueca em cuja massa é adicionada beterraba e ela fica rosinha! Eu acho lindo esses pães que levam cenoura, beterraba e abacate e ficam culuridinhos!

    Adorei essa receita! Vou guardar pra próxima semana, porque essa já esgotou o saldo de calorias por causa do pão.

    Beijos!

    Responder
  9. Dadivosa

    Renata, eu vi foi um talharim cor-de-rosa… lindo lindo. Vou fazer mais experimentos com corantes naturais 😀

    (isso me lembrou que a bridget jones tascou uma linha de crochê na sopa de alho poró que deixou tudo azul ahahah)

    E a modo de que que vc tá de regime, hein? Deixa de bobagem ;***

    Responder
  10. Márcia

    Dadi, menina,
    vc sempre com suas novidades, né?
    Eu não gosto de beterraba (sim, mas cadê a novidade???), mas tá tão bonito, que se eu fosse sua vizinha, perigava bater na sua porta pra pedir um naco…
    🙂
    Beijo e um ótimo fim de semana.

    Responder
  11. Márcia

    Em tempo, notei que vocÊ organizou ainda mais a casa, né?
    Separou os blogs. Muito bom, facilita – pq fala sério, tem dias q nem ler em inglÊs a gente quer, né?
    Bjos.

    Responder
  12. Akemi

    Amiga, morri de rir com os respingos da massa pela cozinha, até na coitadinha da sua cachorrinha! rsss
    Posso até imaginar a paradinha básica para “contemplar” a cor linda da massa, que com certeza deve ser!
    Vejo algumas receitas em inglês de bolos vermelhos mas eles levam corantes. Este com beterraba, além de mais saudável deve dar uma cor muito mais bonita!
    Adorei a sugestão e se eu encontrar algumas beets decentes aqui vou tentar fazer. Geralmente acabam virando salada, amooooo salada de beterraba!
    Beijos e bom final de semana, Dadi!

    Responder
  13. Ana

    Adoro bolo de beterraba, eh uma delicia! (igual bolo de cenoura, tbem taaaao bom!)
    O seu esta lindo! E lendo os seus comentarios ai cima, achei interessante a sua ideia de tentar adaptar a receita p/ fazer um bolo salgado… se vc conseguir me avisa, pois me interessei!!
    Ana

    Responder
  14. valentina

    Dadivosa querida, já me maravilhei e diverti com esta receita. O divertimento foi em imaginar o caozinho e toda a cozinha, roupa,etc..revestidos de rubi.Recebi 4 beterrabas na cesta da semana entao talvez deva fazer esta receita logo.Te contarei.Bjs.E muitas gargalhadas.

    Responder
  15. Veia

    li tudinho, a receita tá tão bem escrita e descrita que o bolinho quase que materializou-se na frente do meu computador, e o cheirinho então? bão…..

    Responder
  16. renata

    Dadivosa, tua escrita é um capítulo à parte. Luxo ! Oh,depois veja a receita da Karen. Fiz e gostei muito. No dia seguinte ficou melhor ainda. Também me interessei em conhecer este livro. Dessas receitas mais simplórias rs do Senac, só tenho uma de biscoito de goiaba que ainda nao testei mas meu olhar biônico diz ser ótima.

    Responder
  17. Dadivosa

    Márcia, fica melhor mesmo, né? Eu não tinha percebido o quanto estava difícil essa barrinha do blogroll. Mas depois que descobri como incluir categorias de blogs, minha vida mudou! hahah
    E o mais legal é que pude colocar também outros blogs de leitores dadivosos que não escrevem só sobre comida 🙂

    Responder
  18. Dadivosa

    Akemi, eu tenho alergia a corantes, não posso nem pensar neles que fico toda “empolada”. Se quiser deixar o bolo mais pro cor-de-rosa, você pode diminuir a quantidade de beterrabas.

    Ana, pode deixar que assim que fizer a versão salgada eu publico aqui para todas.

    Valentina, como anda a mudança? Saudades de seus posts… daqui a pouco vou ali visitar você.

    renata, esse biscoito de goiaba parece ótimo!

    ;***

    Responder
  19. Neile

    Dadivosa,

    Eu aqui também!.r.s…Frequento aqui e as Rainhas e agora estou mais soltinha e com vontade de interagir…e lhe digo: adoro seu palavriado também! Mas, a Miki lançou a possibilidade de ser jornalista…eu digo mais: é prosa de advogada..r.s..vai, mata nossa curiosidade!..rs..
    Beijos!
    ps.: Adoro suas receitas! Elas dão certo m-e-s-m-o! E são definitivamente deliciosas!

    Responder
  20. Dadivosa

    Neile, que bom que você saiu do armário (da cozinha) hiihih
    Seja muito bem-vinda para entrar, sentar, comentar, mudar as receitas e contar pra gente como ficaram.
    Sim, tenho formação em comunicação social, mas isso é só um detalhe, né? A prosa rebuscada vem da paixão pelas coisas de antigamente, apesar de eu ser uma senhora dona de casa bastante moderna e prafrentex 🙂

    Valentina, já vi que tem coisinha nova no seu Trem Bom 😀
    Beijos

    Responder
  21. Neile

    Ô, Dadi (tô intima demais, já!?!?).r.s.

    Obrigada pelas boas vindas e por matar a curiosidade…
    E eu também aprecio sobremaneira os quetais antigos…
    Vamos trocar figurinhas culinárias sim (e eu vou sair ganhando sempre porque você é mais empolgada e desinibida..rs.)
    Beijos!

    Responder
  22. Nícia

    Menina, testei essa receita outro dia … achei muita beterraba mas, a laranja compensaria o gosto pronunciado. De início, percebi que a massa realmente não pode ser batida na batedeira, pedi minha mãe pra me ajudar e ela ficou toda pintadinha de pink (igualzinho catapora) e a cozinha nem se fala. Fiz tudo igualzinho, só que coloquei no tabuleiro e piquei quadradinho. Não falei pra ninguém de que sabor era, meu marido que é louco por bolos atacou e … logo me olhou de cara feia, disse que só eu pra fazer “bolo de beterraba”, se não dava pra ser um pouco normal. Foi muito engraçado. Realmente achei que o gosto de beterraba ficou fortinho, só de destampar a vasilha, a cozinha ficava cheirando a beterraba. Da próxima vez vou diminuir a quantidade da tuberosa. Vou fazer igual ao bolo de cenoura, só que de beterraba. Enfim, a esperiência foi ótima! rsssss

    Responder
  23. Dadivosa

    Oi, Nícia, adorei a sua história!
    As beterrabas que usei eram suaves, não ficaram com esse cheiro que você fala não… mas da próxima vez também vou reduzir a quantidade pra ver como fica.
    Muito obrigada pela sua visita e pelo comentário querido.
    Volte sempre e sucesso em seus cozinhados!
    ;***

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.




Arquivos

Newsletter

Assine para receber no seu e-mail